Mudança na tarifação do WhatsApp Business API

 

Substituição: sai modelo de notificação, entra modelo de conversa

Saiba tudo sobre a mudança na tarifação do WhatsApp Business API

 

O ano de 2022 começou, e logo no seu segundo mês, uma mudança no API do WhatsApp está causando dúvidas e até mesmo algumas preocupações a todos os envolvidos na prestação e utilização do serviço. 

O fato é que o WhatsApp mudou a forma de cobrar pelo seu serviço e isso vai mexer na maneira de conduzir os investimentos relacionados ao uso do API. Mas nada de terra arrasada, hein!? 

É chegada a hora de entender os detalhes do novo modelo de tarifação por conversa e se adaptar a essa mudança. 

A seguir, falaremos sobre os detalhes que você precisa entender sobre o que muda, quem é o responsável por essa mudança, como isso acontecerá na prática e quais os caminhos que poderá adotar para seguir fazendo excelentes negócios no WhatsApp. 

Vamos juntos nessa jornada!

 

O que a Huggy tem a ver com essa mudança? 

Antes mesmo de falarmos sobre a mudança de forma mais detalhada, é crucial para a compreensão da nova forma de tarifação por conversas entender como funciona a estrutura de prestação do serviço de API. 

Essa estrutura conta com 4 personagens. São eles: 

  • A sua empresa: tudo começa e gira em torno da sua necessidade de fazer negócios através de um atendimento digital incrível, respondendo aos seus clientes de forma qualitativa e automatizada (Guarde essa informação. Ela será bastante útil a seguir);
  • As BSP’s: os provedores de soluções para negócios são parceiros autorizados a intermediar a relação entre a sua empresa e o WhatsApp. Somente a título de comparação, elas funcionam como as operadoras de telefonia (no Brasil, Tim, Claro, Vivo e Oi) e são responsáveis por possibilitar que você utilize a API no seu negócio;
  • A Huggy: somos responsáveis por encurtar o caminho entre o seu desejo de automatizar o atendimento e o acesso ao WhatsApp Business API, desburocratizando o acesso. Apresentamos as melhores opções de BSP’s para o seu negócio, participamos dos processos de verificação, solicitação e ativação do serviço e fornecemos a plataforma para que consiga utilizar o API; 
  • O WhatsApp: o dono da bola - quer dizer, do serviço - e único com a prerrogativa de interferir em questões estratégicas relacionadas ao serviço como, por exemplo, preços praticados e forma de cobrança.

Como quem tem a bola define as regras do jogo, o WhatsApp resolveu substituir o modelo de tarifação por notificação para o modelo de tarifação por conversas. 

 

O que muda com o novo modelo de tarifação por conversas

Até janeiro de 2022, as cobranças eram baseadas em notificações, ou seja, a empresa só investia a partir do momento que enviasse uma mensagem de notificação ao usuário (também conhecidas como mensagens ativas). Dessa maneira, se uma pessoa interessada nos serviços ou produtos buscasse o diálogo com a sua empresa, aquele contato não seria considerado uma notificação, sendo a empresa tarifada apenas nas situações as quais ela iniciasse a conversa a partir do envio de uma mensagem. 

Agora, a tarifa passará a ser por conversas, sejam elas iniciadas pela pessoa interessada no seu produto/serviço ou enviada ativamente. Com isso, toda vez que uma conversa for iniciada pela empresa ou respondida a partir de uma mensagem recebida do usuário haverá cobrança.  

Sobre as mensagens, é importante que você entenda bem quais os tipos, pois o WhatsApp definiu diferentes preços para cada uma. Confira a seguir:  

  • Sessão: Também conhecida como “mensagem receptiva”, ocorre quando o cliente busca contato com a empresa;
  • Template: Essa é a chamada “ativa”, aquela que ocorre quando a empresa inicia as tratativas com o potencial cliente. Esse tipo de mensagem precisa ser configurada e aprovada previamente pelo WhatsApp para ser utilizada.

 

Como fica a relação com as BSP’s

Da mesma maneira que a sua empresa precisará se adaptar às novas deliberações feitas pelo WhatsApp sobre a mudança de tarifação por conversas, os Provedores também estão pensando em meios para seguir viabilizando o serviço sem afetar a estrutura.

A partir da mudança para o modelo de tarifação por conversas, surgiu também uma nova precificação a partir do tipo de mensagem, pois o WhatsApp definiu o preço-base de USD 0,03 por mensagem recebida (sessão) e USD 0,05 por mensagem ativa (template). 

Por conta da diferenciação de cobrança por tipo de mensagem, os provedores precisam ajustar as suas próprias tarifas e, em alguns casos, a forma de entregar o serviço. 

Confira a seguir como ficará a cobrança de Provedor que atende a sua empresa: 

 

 

Como que essa conta vai fechar?

Essa é a pergunta que estamos aqui para te ajudar a responder. 

Assim como as BSP’s e você, nós também estamos pensando em possibilidades e gostaríamos de dividir com você alguns aspectos que podem ajudar nessa missão.

O primeiro deles é que, como dito acima, não necessariamente haverá cobrança sobre TODAS as mensagens trocadas. Existem atenuantes para esse método e isso pode te ajudar.

Outra boa nova é que as cobranças somente serão realizadas após o fechamento das janelas de conversa, janelas de 24h no qual a empresa poderá falar livremente com o potencial cliente sem ser novamente tarifada. 

Imagine o seguinte: Um potencial cliente entrou em contato com a sua empresa às 10h de segunda-feira e sua empresa respondeu a esta mensagem. Nesse momento, será feita a cobrança por uma sessão (mensagem receptiva), entretanto até às 10h da terça-feira a empresa não será novamente tarifada independentemente do volume de mensagens trocadas no período.

Detalhe: passada a janela de 24h após o contato inicial, caso seja necessário retomar a conversa, ainda que o diálogo parta do cliente, outra cobrança será realizada. 

 

Em resumo

A partir de fevereiro de 2022, o WhatsApp mudou a forma de tarifação do serviço para o modelo de notificação por conversas e existem alguns novos fatores de adaptação que podem demandar ajustes na sua estratégia para seguir dando o retorno esperado sobre o investimento realizado.  

Com as mudanças, tanto a Huggy quanto as BSP’s se movimentaram rapidamente para minimizar os efeitos que isso poderia causar dentro da estrutura do serviço, então apesar da necessidade de revisitar alguns pontos em relação à maneira que vinha conduzindo os seus atendimentos digitais até aqui, não há razões para desespero, apenas para atenção.

Precisa de mais ajuda? Conte com a gente sempre!

Chame um dos nossos consultores para um bate-papo e conheça mais possibilidades, tanto para otimizar os negócios no WhatsApp Business API quanto para implementação de novos canais de atendimento digital - Instagram, Telegram, SMS, VoIP etc.

Hugs! 


O que você achou deste artigo?


some text
Powered by HelpDocs (opens in a new tab)